Norma Técnica

Fabricação de Tubos de Aço

Este artigo foi escrito com o objetivo de fornecer as informações básicas para os profissionais que utilizam e efetuam distribuição de tubos de aço com costura.

Fabricação de Tubos de Aço

Os tubos que iremos comentar, são chamados de “com costura”. esta é uma denominação errônea para o material, porém o nome se consolidou tal como “xerox”. Esta denominação veio de muito tempo atrás, quando o processo utilizado era de baixa frequência (50 ou 60 hz), o que dava ao material uma aparência de “material costurado”. Hoje o processo é realizado com solda longitudinal pelo processo E.R.W. (Solda por Resistência Elétrica) com alta Frequência.
Este processo garante a homogeneidade da matéria-prima com a solda, o que confere excelentes características aos produtos.
Os processos de fabricação para obtenção do produto final variam de acordo com a norma em que o tubo vai ser fabricado.
Os tubos podem ser produzidos em uma variada gama de matérias-primas (tipo de aço utilizado), que são normalmente fornecidas segundo especificações:

  • ASTM (American Society for Testing and Materials)
  • DIN (Deustaches Institute for Normuns)
  • API (American Petroleum Institute)
  • AISI (American Institute of Steel and Iron)
  • SAE (Society of Automotive Engineers)
  • ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e outras

Matérias Primas

BF – Bobina Laminada a Frio:

Possuem uma cor clara, sendo necessário alguns cuidados especiais aos tubos produzidos nesta matéria-prima, pois ela é altamente suscetível a oxidação (corrosão, ferrugem). Os tubos devem ser armazenados e transportados sempre evitando a umidade, senão tendem a amarelar, o que pode causar sérias conseqüências na utilização final sobre o produto.
Estas bobinas são produzidas normalmente em espessuras abaixo de 2,00 mm e possuem melhor tolerância dimensional e acabamento. Devido seu processo de fabricação ser maior que as BQ, seu custo é maior.

 

BQ - Bobina Laminada a Quente:

 

Possuem uma cor escura e são menos suscetíveis a oxidação.
- Os tubos podem ser armazenados e transportados em condições normais até mesmo em céu aberto (por pouco tempo) sem ter sua qualidade prejudicada.
- Estas bobinas são produzidas normalmente em espessuras acima de 2,00 mm e não possuem uma tolerância dimensional tão restrita quanto as BF, sendo que são também denominadas de BG (Bobinas Grossas), quando a espessura for superior a 5,00 mm.
Quando for necessário em uma espessura de BQ uma melhor condição dimensional podemos fazer uma relaminação a Frio da chapa. Este processo também é utilizado para se obter espessuras não fornecidas pelas Usinas.

BZ - Bobina Aço Zincado por Imersão a Quente:

Possuem uma cor clara, sendo necessário alguns cuidados especiais aos tubos produzidos nesta matéria-prima. Os tubos devem ser armazenados e transportados sempre evitando a umidade, senão tendem a amarelar, o que pode causar sérias conseqüências na utilização final sobre o produto. Estas bobinas são produzidas normalmente em espessuras variando 0,30 a 2,70 mm e largura entre 700 mm a 1.624 mm. Quanto os tubos de condução são zincados a quente (galvanizados a fogo como são popularmente conhecidos) não temos a preocupação com a superfície do tubo. Devemos apenas tomar pequenos cuidados quanto ao seu armazenamento.

Informações Técnicas

  • Cálculo do Peso Teórico de um Tubo Redondo de Aço Carbono P = 0,0246615 x (D – e) x e Sendo: P = Peso do tubo em kg/metro D = Diâmetro externo do tubo em mm. e = Espessura da parede do tubo em mm.
    Obs: estamos considerando tubos de aço preto e não galvanizados onde teremos um pequeno acréscimo no peso por metro.
  • Cálculo do Peso Teórico de um Tubo Quadrado de Aço Carbono P = 0,0246615 x (1,27 x L – e) x e Sendo: P = Peso do tubo em kg/metro L = Lado do Quadrado em mm. e = Espessura do tubo em mm.
  • Cálculo do Peso Teórico de um Tubo Retangular de Aço Carbono P = 0,0246615 x (1,27 x ((L1 +L2) / 2) – e) x e Sendo: P = Peso do tubo em kg/metro L1 = Lado maior em mm. L2 = Lado menor em mm. e = Espessura do tubo em mm.